domingo, 18 de setembro de 2011

O nome dele é Mias. Jeremias.

Corria uma noite de Setembro no Algarve. Um grupo de pessoas decide ir dar uma volta à praia a meio da noite, porque a ressaca da anterior ainda era forte demais para uma repetição de dose. A caminho da praia existe um canteiro onde a rega automática está ligada. 
No meio de um dos arbustos do canteiro ouve-se um miar. Continuamos a andar sem ligar muito até que se ouve outro miar. E perdido algures no meio dos arbustos, em que a Catarina e a S. se viram e desejaram para arrancar o bicho de lá dentro que se prendeu lá mal sabe ele como, apareceu o Jeremias (ou Mia, porque ainda não temos certeza absoluta do sexo). Um gato bebé que ainda mal se aguenta nas patas, que cabe na palma de uma mão, gosta de beber leitinho dos dedos, que se ia atirando para dentro do balde do chão e se perdeu atrás do frigorífico. Que é uma coisa amorosa que só ela, em que até o macho do grupo tirou o casaco para o animal não passar frio, porque já sabe que todos os gatos passam frio quando estão uns  20ºC.  
Apresento-vos o recém chegado, que com pouco mais de umas horas na família, se está prestes a  tornar o gato mais mimado da história. 









11 comentários:

  1. Curioso... em tempos também apresentei um Jeremias no "crónica" :

    http://cronicadumbloguotico.blogspot.com/2008/06/senhoras-e-senhores-o-jeremias.html

    Votos para que o teu tenha melhor sorte que o meu! :p

    ResponderEliminar
  2. São as coisinhas mais lindas, os animais, não são? Lindo o teu Mias ou Mia ;)*

    ResponderEliminar
  3. Também tive um gato com esse nome. Bolas, será que afinal nao era tremendamente original? Devia ter escolhido Agostinho!

    PS: O teu é lindo!

    ResponderEliminar
  4. Oh que lindo.. A lá de casa é a Naná!

    ResponderEliminar
  5. Que bela história! E só tenho que te dizer obrigado pelo que fizeste. Talvez esse gatinho/a não aguentasse muito mais na rua, e assim sendo agora vai ter uma família que vai tratar muito bem dele/a.

    Também eu e a minha cara-metade no ano passado recuperamos um bebé gatinho da rua num estado lastimável e às portas da morte, tudo o que possas imaginar de mau num gatinho, ele tinha. Carraças, gripe, hipotérmico, sub-nutrido(muito magro), desidratado, com um fungo na pele, com os olhos fechados de tanta remela acumulada, sangrava das gengivas e do nariz. Vagueava na rua à espera da morte, que o iria buscar nesse dia não tenho dúvidas, o estômago cheio de lombrigas já não aceitava comida.

    Parece um caso perdido não é? Foi logo ao veterinário, foi tratado com muito mimo e muita e muita paciência...e hoje, quase um ano depois é um gatarrão cheio de saúde, a alegria da casa... e asneirento também! É o Lucky, e também ele é gato mais mimado do mundo!!

    ResponderEliminar
  6. É uma história linda e com um final feliz. O gato é lindo. Fofo, fofo, fofo. Bem merece os mimos!

    ResponderEliminar