quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Da polémica do momento.

A Sábado publicou uma reportagem onlineaqui, para quem quiser ver. ] intitulada de "A ignorância dos nossos universitários". É basicamente uma sequência de perguntas de cultura mais ou menos geral em que evidentemente, quase todos falham. 

E da parte que me toca, sinceramente, essa coisa do "vamos deitar os putos universitários abaixo e provar ao mundo que a única palavra estrangeira que eles conhecem é Facebook." já cansa. A sério, já chega tentarem denegrir uma geração inteira. Especialmente quando é a geração que vai ser o futuro deste país e é a mais precária devido a quê? Ah, sim, aos erros de outras gerações, precisamente essas que chamam a nova próxima geração de adultos de completos ignorantes.

Já muitas vezes ouvi dizer a minha avó, com a quarta classe e sem sequer perto de ter estado algum dia numa universidade: "Duas galinhas não fazem o galinheiro inteiro".
Tal como alguns alunos universitários não definem uma geração inteira. Existem pessoas menos cultas, claro, mas tanto as há na geração universitária, como nas gerações dos 30-50 e na dos 50 para cima. Existem pessoas absurdamente inteligentes e pessoas medíocres em todas as faixas etárias. E não é preciso ter um curso para saber isso. 

Tal como não é preciso um curso para saber que esta entrevista não é jornalismo. É basicamente saber o mínimo de edição de video, cortar cenas e deixar apenas aquelas que interessaram ao senhor (não me parece que jornalista seja o termo certo, nem senhor já agora, mas pronto). Para isso também não é necessário uma licenciatura em Jornalismo, nem mesmo trabalhar na Sábado. Basta ir ao google e fazer download do tutorial de um programa qualquer de edição de vídeos.  Meus senhores, façam valer a palavra Jornalista e arranjem reportagens a sério. Ou pelo menos reportagens não falaciosas e que não insultem uma data de gente que não tem culpa nenhuma. 

A Sábado até é uma revista que compro todas as semanas, uma atitude a repensar. Aparentemente para não ser uma pessoa ignorante tenho mesmo é de ler Saramago, ver os filmes de Manoel Oliveira e os do Al Pacino e saber a história da arte desde as pinturas rupestres até aos dias de hoje. Ah, e saber a tabela periódica de trás para a frente. Afinal ler revistas é coisa para gente burra, bolas! 

Senhor "jornalista" (cof, cof)  que fez esta reportagem, vá ali até Belém comprar pastéis, sim?
Ah, mas não os coma que isso é coisa de gente burrinha. Debata-se antes sobre a evolução gastronómica Portuguesa. 

8 comentários:

  1. Tiraste-me exactamente as palavras da boca...tal é manipulação para fazer noticia...enfim

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida! Que reportagem (cof cof) ridicula!

    http://pegadafeminina.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Aquilo é jornalismo sensacionalista... infelizmente, boa parte dos estudantes é mesmo assim, burro. Mas não gostei do vídeo.

    ResponderEliminar
  4. eu tb vi e confesso um nao representa toda a adolescência; há quem saiba e quem nao saiba , para a reportagem importa só divulgar os que nao sabem, claro, mas já vi reportagens em que se pergunta quem foi Afonso Henriques e tungas resposta errada, tb há.
    kis :=(
    BFSEMANA

    ResponderEliminar
  5. estas palavras podiam ser bem minhas, já chateia sobretudo vindo dos mais velhos dizerem q somos a escoria da sociedade que eu saiba estamos onde estamos graças às gerações anteriores à nossa

    ResponderEliminar
  6. mais nada, faço das tuas as minhas palavras :P

    ResponderEliminar