quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Porquê a pressa toda em crescer?

Hoje em dia acho que as crianças crescem muito rápido.
Vejo pela minha afilhada que tem 3 anos e já só quer jogar Ipad
Pela irmã dela que com sete anos não larga o portátil. 
Pela minha prima de nove anos que quer fazer um email para poder falar online com os colegas, que quer um telemóvel e um mp5 porque os colegas também já têm. 
Fazem birras por tudo e por nada, porque querem jogar playstation, porque não sabem onde enfiaram a nintendo DS ou porque os pais não as deixam estar mais tempo no portátil. 
Falam da idade em que vão poder sair à noite, de quererem fazer uma tatuagem e dos milhares de namorados que vão ter. Ainda são crianças mas já só querem saber de roupa, de maquilhagem e brinquedos já não são coisas para as idades delas. 
E eu só pergunto, porquê que as crianças hoje têm tanta pressa de crescer? Vão ser adultos o resto da vida, porque não aproveitam enquanto podem para brincar, para correr, para viver sem preocupações, sem responsabilidades?
Como é que crianças que ainda nem sequer a escola primária acabaram e já têm estereótipos parvos de terem de ter roupas boas e mochilas de marca e telemóvel?
Eu na minha altura não tinha nada dessas coisas e ainda queria era chegar a casa e despejar as barbies todas pelo chão e certificar-me que o nenuco estava descansadinho na cama a dormir. Passava as férias todas em casa dos meus avós a ir para as terras com eles, a ajudar nas vindimas, a jogar ás escondidas e ao policia e ao ladrão com o resto dos miúdos que lá andavam, a nadar nos tanques, fazer comida com as plantas do jardim (tantas palmadas que levei...), a usar os gatos como meus nenucos pessoais, tanto que eles fugiam de cada vez que me viam.
Computador, playstation... estar fechada em casa quando podia andar a sujar-me toda e encher-me de negras no jardim, a rebolar com os cães na relva, a ler os livros dos Cinco e de Uma Aventura à beira das árvores? Nem pensar.
Ficar em casa só de manhã para os bonecos, comer e dormir. E a verdade de cada vez que me lembro desses tempos, lembro-me que era absurdamente feliz.
Tinha a mesma idade que a maioria das crianças que vejo hoje a chorarem por telemóveis e consolas de jogos e só pergunto, o que se passa com esta geração? É que se foi a isto que a tecnologia nos levou, não sei se vale assim tanto a pena. 



3 comentários:

  1. pois ... é realmente uma pena na inocência que se perde :/
    **

    ResponderEliminar
  2. Concordo contigo, é isso mesmo... Eu fiquei chocada quando na noite de Natal a minha prima de 10 anos, na altura, esteve a noite toda agarrada ao portátil no hi5..eu com 10 anos estava aos pulos no sofá a ver o bravo bravíssimo e esperava ansiosamente pelo Pai Natal !!

    ResponderEliminar
  3. Com 3 anos já joga ipad? Que medo!

    ResponderEliminar