terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

E a sério, ninguém faz anos no dia mais parvo do ano!

Era um dia que eu não ligava nenhuma, não fosse este o dia em que tu resolveste nascer, e só o  ser o teu dia o torna especial :) 
Porque não era a mesma coisa se não existisses tu para passares o dia a implicar comigo porque achas "amoroso" ver-me chateada. Não era a mesma coisa se não te tivesse a ti para contar tudo, para desabafar e para descarregar frustrações e para ter ataques de felicidade "mesmo à miúda de cinco anos despejada na Disney".
Não era a mesma coisa sem a tua mania de resmungar, de seres irritantemente do contra, de seres orgulhoso, teimoso e não dares o braço a torcer! (Eu também não dou, mas quer dizer, eu posso!)
E definitivamente não era a mesma coisa se não estivéssemos sempre a resmungar e a gozar um com o outro, se não nos conseguíssemos rir um do outro como fazemos todos os dias, se eu não soubesse que por pior que estejam as coisas, tenho sempre a ti para voltar e me fazer rir de uma forma tão natural como só tu consegues.
E o mais extraordinário, é que mesmo com tudo o que temos diferente um do outro e com todas as resmunguices, com todas as manias que nos deixam com vontade de bater o pé, eu consigo não te achar completamente insuportável e de certa forma até gosto um bocadinho de ti. 
E ainda mais do que isso, é passado vários anos  e achar que já sei praticamente tudo sobre ti, eu ainda não conseguir prever o que vais fazer a seguir e ainda me conseguires surpreender todos os dias um bocadinho e me continuares a desafiar porque sabes que é assim que eu funciono. 
Por isso, que continues a ser tão adoravelmente idiota com só tu consegues ser :) 


1 comentário:

  1. :) é porque é amor.

    Sei tão bem do que falas. Serem irritantes, mas não conseguimos deixá-los ir. A vida não teria o mesmo sabor.

    Bisu*

    ResponderEliminar