quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Catarina pede a vossa ajuda!

Este fim de semana tive uma sobrinha nova. Era suposto ser um sobrinho, mas ela enganou-nos bem a todos e saiu uma rapariga, a Mel. 
Alguém com um QI do tamanho de um número de sapatos e um conhecimento praticamente nulo sobre gatos tirou-a à mãe muito mais cedo do que devia, a veterinária disse que ela não tem mais de um mês e (muito) pouco e devia estar na ninhada pelo menos mais um ou dois meses. O que significa que é muito pequenina, exige muitos cuidados e mais atenção do que um gato exige normalmente. 
Isto não seria um problema se não fosse a minha sobrinha mais velha. A Mini tem três anos e foi apanhada ainda muito bebé, foi rejeitada pela mãe e estava a morrer à fome e subnutrida (ninguém diz isso se a virem agora, está gorda como um texugo!), tinha 250 gr quando a minha irmã a apanhou e pelo menos 100 delas eram pulgas e sujeira. Desde aí que é uma gata de apartamento e não está habituada a ter contacto com outros gatos. Como gatos são animais muito territoriais, ela não está a aceitar a irmã mais nova bem. Se ela fosse mais velha punham-se as duas juntas e elas acabavam por se entender depois de umas bufadelas, mas a Mel é tão pequenina que não tem hipótese de se defender, pelo que tem de ficar na marquise até ser mais velha e poder aguentar com a outra. 
Mas parte o coração ver a pequenina do lado de fora a arranhar a janela e a miar por atenção e a Mini da parte de dentro a bufar e a rosnar para a janela como quem diz: "Vai-te embora minha parva que eu estava cá antes!". 
Já nos fartámos de procurar informação na Internet e perguntámos à veterinária e ela diz que é uma questão de tempo e paciência até a mais velha aceitar a outra. E basicamente é isso, tempo, paciência, tempo, paciência, tempo, paciência. Mas entretanto a Mel tem de ficar praticamente o dia todo na marquise porque se entra em casa temos medo que a Mini a ataque e a magoe a sério. 
Por isso, amantes de gatos desse lado do ecrã, alguma dica maravilhosa de como fazer a adaptação mais rápida e de preferência de forma indolor? 
É que entretanto a pequenina está lá fora a miar em desespero por atenção que quase dá vontade de chorar e a mais velha está demasiado ocupada a destruir a árvore de natal para se importar. 

Esta com ar de má e alapada na manta, é a Mini.

Esta miniatura é a Mel, que supostamente devia ter sido um Chuck e que come mais que um pequeno país em África.

11 comentários:

  1. Q-U-E F-O-C-I-N-H-E-C-O T-A-O F-O-F-O ♥
    Olha sempre que eu adicionei um gato aqui ao estaminé tive sempre montes de problemas com o gato já residente, mas ao fim de uma semana já se dão todos bem.

    Não tive grandes atenções, apenas quando fazia festinhas ao novo habitante chamava o anterior e tentava-lhe fazer festinhas. Claro que já mandava uma patada ao noviço mas acabaram por se dar todos bem.
    É uma questão de tempo.

    ResponderEliminar
  2. Ai que coisa mais fofa, nunca tive gatos, por isso não posso ajudar :S

    ResponderEliminar
  3. oh god, que coisinha mais amorosa e fofa *.* QUEM ME DERA!
    Não te consigo ajudar querida, não percebo nada de gatos xD

    ResponderEliminar
  4. ahahah

    A Mini está mesmo com ar de furibunda... mas a Mel é um doce, que fofa!!

    ResponderEliminar
  5. Que coisa mais fofa :D Linda linda mesmo

    ResponderEliminar
  6. mel, gostei do nome! E é uma doçura *.*

    ResponderEliminar
  7. Eu sempre tive gatos, já tive cães mas foram os gatos que predominaram pro aqui. Aquilo que te posso dizer é que ela é demasiado pequenina para estar com a gata mais velha, pode-se magoar. o que se pode fazer é que, já que ela não lhe dá atenção... Dá-lhe tu. Dá-lhe tu esse mimo que ela quer, colinho, faz-lhe festas na barriga. Claro que não tem que ser sempre que ela chora. Mas vai fazendo isso. E á medida que ela crescer, vais ver que se vai adaptar, não quer dizer que goste, mas vai acabar por partilhar o território se tu demonstrares que o espaço é para as duas.

    ResponderEliminar
  8. Olá. Olha, já passei por isso quatro vezes, a minha gata mais velha nunca aceitou as outras que vieram depois, mas após alguns dias já as ignorava e depois lá acabava por aceitar as companhias novas. Mas, nunca fechei nenhuma delas num local isolado, até porque é nesta altura que os gatinhos precisam de muito contacto e atenção. Mesmo que a outra gatinha fique chateada não deixes de dar atenção à mais pequenina, porque corres o risco de ficar arisca. E claro, a mais velhinha tem que perceber que agora vai ter que partilhar o seu território e para isso tem que haver mais contacto para também se habituar ao cheiro novo.
    Bjn e goza esta altura dos gatinhos que é tão boa ;)

    ResponderEliminar
  9. Olá também já passei por isso 3 vezes. Mas comigo é diferente porque nunca trouxe para casa só um gatinho.. trago sempre casalinhos de irmãos :)
    Então os existentes nem têm de se chatear com os pequenos que se divertem sozinhos e não ligam nenhuma aos mais velhos..Nunca separei gatos novos de mais antigos.. a csa é de todos e têm de saber partilhar
    Normalmente ao fim de 3/4 dias já estão todos ao molhos a lamberem os mais novitos como se fossem filhotes..
    A experiência do meu primeiro casal que chegou aos 17 anos ( morreu o ultimo em há dois meses), segundo casal que tem neste momento 12 anos e o meu ultimo que tem agora um ano de idade :)
    Neste momento tenho 4 em casa - dois casais - sempre ambos esterilizados - e dão-se como Deus com os anjos hehehhe
    Parabéns com a nova aquisição e não as separes só vais provocar um maior distanciamento entre elas - claro que obviamente sempre com atenção à mais velha para a corrigires se ela se portar mal e com a atenção à mais nova para não permitires que se vá meter com a outra sem ser "convidada"

    Valéria

    ResponderEliminar